Universitários - Autoconhecimento

13:48 casainacianadajuventude 0 Comments



Grupo de Universitários (as) da Casa Inaciana da Juventude
realiza encontro sobre autoconhecimento

Não é impossível
Eu não sou difícil de ler
Faça sua parte
Eu sou daqui, eu não sou de Marte
Vem, cara, me repara
Não vê, tá na cara, sou porta-bandeira de mim
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular”

Tarde de dezoito de abril. Domingo. Embalados pela canção “infinito particular” jovens universitários (as) iniciaram seu encontro mensal na Casa Inaciana da Juventude (CIJ), em Fortaleza (CE).
Uma sala repleta de espelhos, imagens e artigos de maquiagens foi cenário de reflexões e questionamentos sobre autoconhecimento. Um grupo encenou a beleza e as dores de assumirmos quem somos e a constante busca pela máxima “Conhece-te a ti mesmo”.
A jovem Amária Silva questionou em determinado momento do encontro: “Nós realmente nos conhecemos? Diante de nossas inquietudes, medos, alegrias, qual a melhor forma de lidar com esses sentimentos?” Para a jovem, esses questionamentos são a chave para entender a importância do autoconhecimento, “aprender a traçar nossos próprios caminhos e saber lidar com liberdade, para ser feliz e fazer os outros felizes”.
O encontro contou com a presença do psicólogo Ivan Rodrigues, que abordou diferentes perspectivas da psicologia sobre o assunto. Para Ivan, é “muito importante que cada pessoa se conheça e se aceite, não para se acomodar, mas para compreender melhor suas escolhas e viver melhor”. O psicólogo ressaltou ainda que “é natural sermos ansiosos nessa busca por autoconhecimento, entretanto, é bom ter clareza que somos seres incompletos, dinâmicos. Assumir isso diminui nossa ansiedade, mas não nossa sede por nos completarmos, mesmo que saibamos que isso não acontecerá.”
O grupo de universitários (as) reúne-se mensalmente na CIJ. O próximo encontro, cujo tema será “Dialogo Inter-religioso” acontecerá no dia 17 de maio.
A maior riqueza do homem
é a sua incompletude.
[...]
Perdoai
Mas eu preciso ser Outros.
Eu penso renovar o homem usando borboletas.”

Manoel de Barros. In: Retrato Do Artista Quando Coisa. Rio de Janeiro: Editora Record, 1998.






“A.M.D.G"

0 comentários: